Publicado em

Bronzeamento sem rugas? Beba vinho!

Sabemos que a exposição ao sol provoca a liberação de radicais livres, que são moléculas que destroem as células do corpo humano provocando flacidez e rugas. Sim, radicais livres são nossos inimigos número 1!

Só que no verão, todo mundo quer abandonar o bronzeado parede de escritório e desfilar suas marquinhas e corpos dourados por aí. Aí vem a dúvida: manter a pele rejuvenescida ou bronzeada?

A notícia deste verão é que estudos comprovam que tomar sol acompanhado de alimentos adequados ajudam a impedir essa lógica: sol = rugas.
Consumir alimentos que têm ação antioxidante, combate os radicais livres e mantém a pele rejuvenescida e bronzeada.  E um destes alimentos é o nosso querido e idolatrado vinho!!

Outros alimentos que ajudam nesta proteção são: morango, cereja, tomate, café e chocolate amargo.

Lembramos que esta lógica funciona se não houver exagero na exposição ao sol e aliada ao uso de protetor solar. Mais importante do que o bronzeado é a sua saúde!

Publicado em

Espumante na praia: ostentação ou democracia?

No Brasil, convencionou-se que praia é lugar de cerveja e caipirinha. Até o verão passado, espumante na praia era coisa para o programa “Mulheres ricas” e quem ousasse toma-lo à beira mar era tachado de playboy/patricinha ostentador(a).

Com cada vez mais adeptos no país, isso está mudando e o espumante chegou nas areias brasileiras. No entanto, antes, se você quisesse tomar o seu vinho você tinha que levar uma garrafa de casa. A novidade desse verão circula em um carrinho, similar aos que vendem picolés, mas são abastecidos só com espumante. Como diz a nossa Val Marchiori, Hello!

Se na praia que frequenta ou clube ainda não tenham aderido a novidade, seguem aqui sugestões de excelentes espumantes nacionais que você compra pelo nosso site e leva para onde quiser.

Publicado em

Uma taça de vinho equivale a uma hora de academia!

Aí você, desesperado(a) , logo pensa: pra eu me livrar das calorias de uma taça de vinho eu tenho que malhar durante uma hora??? Não, não, não, não! Não esperou a gente molhar o bico…

Um estudo feito pela Universidade Alberta, no Canadá, garante que uma taça de vinho tem o mesmo efeito no corpo que uma hora de academia. Isso se dá devido a elevada taxa de resveratrol contido na bebida. Esse composto, um poderoso antioxidante, apresenta diversos benefícios comprovados no que diz respeito ao desempenho físico e às funções cardíacas.

Só que não precisa cancelar seu plano na academia amanhã! Os estudiosos comemoraram a informação para aquelas pessoas que não conseguem esse resultado devido a alguma incapacidade física. No entanto, é bom saber que você pode alternar seu levantamento de peso com levantamento de taça, não é mesmo?

Ah!!! É importante saber que esse composto só existe nos vinhos tintos! Para te ajudar, seguem nossas melhores opções de tintos que farão o trabalho pesado por você!

faces merlot
Vinho das Olimpiadas Rio 2016 Merlot
Terragnolo Merlot
Vinicola Terragnolo Reserva Uva Merlot
Guatambu da estancia tinto
Guatambu da Estância uvas tintas
Publicado em

Que calor! Que tal um sorvete de espumante Nacional?

O casamento entre a vinícola Dal Pizzol e Sorvete Brasil sofisticou a sua tacinha de sorvete.

Desde 2014, o sorvete de espumante artesanal, livre de conservantes e gorduras hidrogenadas é sucesso no Rio.

A vinícola Dal Pizzol, que possui mais de 40 anos de tradição e qualidade, acredita que essa mistura é uma ótima pedida para o verão. Não tem como não se derreter, não é mesmo?

Publicado em

Um sol – e uma taça de vinho – para cada um!

Apesar de ser amante de vinho, você pode continuar fiel à sua bebida favorita mesmo com a chuva de comercial da gostosa cerveja gelada e a sensação térmica de 50 graus.

Basta, apenas, escolher os vinhos mais adequados para amenizar esse calor. Os vinhos mais leves e com boa acidez (lembre-se a acidez – refrescância – é aquela sensação na boca que te faz salivar quando toma um vinho), são as melhores opções, como os brancos, rosés e espumantes.

No entanto, o conceito “estupidamente gelada” da cerveja não se aplica ao vinho. Para manter o sabor ele deve ser consumido em temperaturas controladas.

Para não passar desse limite, segue a dica: antes de se servir, coloque o vinho na geladeira por cerca de duas horas ou num balde na proporção de 1/3 de gelo e 2/3 de água.

Já que o clima é brasileiro, opte por um vinho nacional que vai te refrescar e surpreender. Lembre-se, nesse calor, hidratar‐se é mais que preciso!

Publicado em

Luiz Porto Vinhos de Minas Gerais

A vinícola Luiz Porto Vinhos Finos encontra-se dentro da Fazenda do Porto, propriedade localizada no município de Cordislândia, MG, e fundada em 1980. Especializada na produção de diversas culturas, principalmente café, leite e cavalos, há cerca de 10 anos a família Porto decidiu transformar sua paixão por vinhos em negócio e passou a investir no cultivo de uvas de excelente qualidade.

Entre as castas cultivadas em 15 hectares na bela fazenda se destacam a Syrah, Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc e Chardonnay. A produção se divide em 2 linhas: Dom de Minas – vinhos jovens que surpreendem por sua originalidade e são ótimos acompanhamento para a culinária mineira e a linha Luiz Porto – vinhos elegantes que compõem a linha premium da vinícola.

Técnica de plantio inovadora

Assim como existem os vinhos de altitude na Serra Catarinense, em Minas temos os vinhos de inverno, através do processo chamado CICLO INVERTIDO (Clique aqui para saber mais.)

Divulgação Luiz Porto
Divulgação Luiz Porto

Neste processo, as uvas são colhidas no inverno e não no verão como acontece em todo mundo. O processo foi desenvolvido por Murilo Albuquerque que não por acaso está ligado a três novas vinícolas mineiras.

As uvas que brotam naturalmente na primavera e se desenvolvem no verão tem seus cachos já formados entre os meses de janeiro e fevereiro quando é feita a poda das videiras, derrubando todas as frutas ainda verdes.

A planta então faz um esforço e, novamente, brotam os cachos que assim crescem durante o outono favorecidos pelo clima ensolarado com dias quentes. Com isso as uvas ficam maduras no início do inverno quando é feito a colheita com o fruto equilibrado em termos de acidez e açúcar para fazer um vinho de qualidade.

Para garantir a brotação outonal dos ciclos é utilizado o Dormex, que estimula o processo. Ao longo de todo o processo de crescimento das uvas, é preciso proteger as uvas maduras e suculentas do ataque dos pássaros.

Não deixe de visitar a vinícola num agradável passeio de final de semana no interior de Minas Gerais – mais informações, clique aqui!

Publicado em

Vinhedos Capoani: vinhos para a alma

A referência “vinícola boutique” faz mais sentido quando conhecemos a história e os produtos da Vinhedos Capoani. Ainda que a vinícola não incorpore o rótulo “boutique” em sua marca, acreditamos que ela representa bem o que melhor há no conceito:

– Apenas 13 hectares de plantação: com 6 castas, sendo as principais Merlot, Chardonnay, Pinot Noir e Gamay!
– Produção média por rótulo de apenas 3 mil garrafas anualmente!
– Design arrojado de suas garrafas.
– Vinhos de forte personalidade e feitos para tornarem-se lembranças para a alma.

A história se inicia em 1973 quando Volmir Luis Capoani plantou as primeiras videiras em Bente Gonçalves e ao longo de mais de 3 décadas forneceu uvas para importantes vinícolas brasileiras. Em 2009, com o falecimento de Volmir, seu filho, Noemir Capoani e seus netos William e Renan, assumem a gestão da vinícola e iniciam o projeto de produção do próprio vinho – um antigo sonho da família Capoani.

Acervo: Vinhedos Capoani
Acervo: Vinhedos Capoani

 

A vinícola está localizada em Bento Gonçalves e os vinhedos divididos entre Bento Gonçalves e Monte Belo do Sul (logo do lado de Bento) também localizada no Vale dos Vinhedos.

O sistema de condução das videiras é 100% espaldeiras e os vinhedos mais antigos possuem 15 anos, enquanto os mais novos 5 anos. Estão localizados em terras não muito altas, de 600 metros de altitude e em solos de características argilosas, baixa fertilidade e baixo teor de matéria orgânica. Uma excelente combinação para proporcionar uvas com alta concentração de açúcar e ideais para passar pelo processo de fermentação.

Em sua essência a Vinhedos Capoani busca a elaboração de vinhos e espumantes, explorando a identidade regional com olhar nas aspirações dos consumidores modernos que buscam produtos com atitude inovadora.

capoani-gamay-nouveau

 

Uma prova da atitude inovadora da vinícola é o seu rótulo de gamay. Um vinho jovem, perfeito para o verão brasileiro. Sua temperatura ideal de serviço é 11 graus, sendo um vinho agradável e com todas as boas características da casta, como se encontram nos seus melhores pares franceses.

Publicado em

Guaspari: Vinho paulista premiado na Europa

A Vinícola Guaspari está localizada em Espírito Santo do Pinhal – SP, em altitudes entre 800 m e 1.300 m. Lá as noites são frescas e a ótima insolação durante o dia proporcionam uma amplitude térmica entre 10  e 15°C na época da colheita, semelhante à das grandes regiões europeias. Soma-se a isso um solo seco – com boa drenagem – e granítico, o que é especialmente indicado para uvas destinadas à produção de vinhos de alta qualidade.

A colheita, diferentemente da Europa, ocorre no inverno e não no verão! Isto porque no interior paulista os invernos são secos e a ausência de chuva contribui para a melhor maturação das uvas.

Acervo: Vinícola Guaspari
Acervo: Vinícola Guaspari

A origem do nome da vinícola foi uma homenagem do proprietário à sua família, que a nomeou com o mesmo sobrenome de sua esposa e seus filhos. A Vinícola Guaspari traduz a paixão e o espírito empreendedor de uma família que se dedicou a transformar uma antiga fazenda de café em uma bela e instigante vinícola.

É uma história sobre assumir riscos, ousar e testar os limites para o cultivo de parreirais, abrindo novas fronteiras para a vitivinicultura do Brasil e colocando a região de Espírito Santo do Pinhal no mapa dos vinhos de alta qualidade no mundo.

Em 2016 a produção foi de 80 mil garrafas, divididos em 6 rótulos (2 brancos, 3 tintos e um rosé). No final de 2016 a Guaspari lançará um novo rótulo branco da uva Viognier, e para 2017 ela está prevendo o lançamento de um branco da uva Chardonnay, um tinto de Corte Bordalês e eventualmente um Pinot Noir de produção extremamente limitada.

Publicado em

Vinho pode prevenir a disfunção erétil

A faculdade de medicina da Universidade do Porto garante que o consumo moderado de vinho estabiliza os vasos sanguíneos do tecido erétil do pênis e pode ajudar a prevenir a disfunção erétil.

O problema que atinge quase metade dos homens brasileiros de todas as idades é uma manifestação precoce da aterosclerose e doenças cardiovasculares. O álcool tem um efeito que protege contra a aterosclerose e o vinho tinto contém substâncias que ajudam a prevenir tais doenças cardiovasculares.

Atrás de comprovação, a Universidade Wes Australia fez um teste que contava com 1700 homens e perceberam que aqueles que consumiam pelo menos uma taça por semana, tiveram 25 a 35% menos ocorrências de disfunção erétil que os homens que não consumiram a bebida.

Comemore a boa notícia mas não se esqueça da antológica frase de Shekespeare “O bom vinho é um camarada bom e de confiança, quando tomado com sabedoria”.

Publicado em

Villaggio Bassetti: máxima qualidade em vinhedos de altitude

A encantadora Vinícola Villaggio Bassetti localizada em São Joaquim no estado de Santa Catarina, carrega em sua história tradição, paixão e técnica. A vinícola traz no DNA das famílias Pioli e Bassetti os conhecimentos e as paixões milenares desenvolvidas pelos italianos.

casa-e-vinicola-pioli-pr
Casa e Vinícola Pioli no Paraná. Acervo: Vinícola Villaggio Bassetti

As famílias Pioli e Bassetti se encontram nos arredores de Curitiba, no planalto paranaense, onde Juca Pioli produzia seus vinhos artesanais para deleite da família e encantamento dos netos, que levavam seu sobrenome e o do genro, marido da filha única. É a partir desta história que José Eduardo Pioli Bassetti, engenheiro químico, encontrou em São Joaquim as condições geo-climáticas que considerou necessárias para produzir vinhos de qualidade. O vinho estava no sangue do neto como estava do avô. Só o sonho era maior: produzir o melhor vinho do Brasil em plena altitude.

Os vinhos da Villaggio Bassetti comprovam a máxima: um novo terroir trabalhado com paixão e dedicação pode apresentar, na taça, vinhos encantadores.

Acervo: Villaggio Bassetti
Frio rigoroso no inverno de Santa Catarina. Acervo: Villaggio Bassetti

O clima frio da região retarda e alonga o ciclo das videiras contribuindo para um perfeito amadurecimento das uvas. O solo pedregoso ajuda na rápida drenagem das águas da chuva. O resultado são uvas sadias e ricas em polifenóis e açúcares naturais.

Verão quente e seco. Acervo: Villaggio Bassetti
Verão quente e seco. Acervo: Villaggio Bassetti

O verão é determinante para diferenciar a região escolhida: seco e ameno! Chove pouco entre os meses de janeiro e maio, menos ainda na época da colheita que inicia no final de março e se estende até o início de maio. Apesar de dias quentes, podendo chegar a 29°C, as noites são frescas, com temperaturas que chegam aos 6°C, mesmo em janeiro.

Atualmente são produzidas na vinícola 26.500 garrafas de vinhos por ano, resultado de investimentos ao longo dos últimos 11 anos: os primeiros vinhedos (plantados em 2005) foram 2 hectares de Merlot e 2 hectares de Cabernet Sauvignon, uvas que resultaram no delicioso rótulo Montepioli – carro chefe da vinícola com produção anual de 7mil garrafas.

Em 2006, inicia-se o plantio de Pinot Noir e Sauvignon Blanc, seguramente a uva que encontrou nas altas e frias terras de São Joaquim a sua melhor expressão no Brasil! Assim, rapidamente, José Eduardo Pioli Bassetti tratou de expandir e dedicar seu carinho ao plantio de mais 2 hectares de Sauvignon Blanc nos anos de 2009 e 2010.

A linha Villaggio Bassetti apresenta os seguintes rótulos:

Acervo: Villaggio Bassetti
Acervo: Villaggio Bassetti

Rosé – 5.000 garrafas produzidas anualmente
Sauvignon Blanc – 6.000 garrafas
Montepioli – 7.000 garrafas
Primiero – 1.600 garrafas
Ana Cristina – 3.500 garrafas
Donna Enny – 600 garrafas
Selvaggio – 300 garrafas
Roberto – 2.500 garrafas