Publicado em

Foram comprovados os benefícios do vinho para a nossa memória!

“Não me lembro nem o que eu bebi no jantar”. Se você diz isso, provavelmente não foi vinho.

Pesquisadores de Berlin afirmam que o resveratrol, antioxidante presente no vinho tinto, pode melhorar a memória.

Para conseguir esses resultados, os participantes tiverem seus cérebros escaneados, fizeram exames de sangue e passaram, lógico, por um teste de memória. Medade dos voluntários receberam 200g de resveratrol por dia e a outra metade recebeu um placebo, que não tem nenhum efeito prático. O resultado foi que a metade das pessoas que consumiu o antioxidante presente no vinho apresentou melhor memória de curto prazo, além de melhorar as conexões do cérebro com outras áreas responsáveis pela memória.

O Red acredita que nossas eternas companhias são as nossas lembranças e memórias. Por isso recomenda os melhores vinhos tintos nacionais!

Publicado em

Consumo de vinho previne perda auditiva. Han? É isso mesmo que você ouviu

Já a cerveja potencializa a perda… 

Pesquisadores de um hospital de Boston acompanharam mais de 56 mulheres, entre 22 e 47 anos, e perceberam que as que consumiam cinco ou mais cervejas por semana apresentaram maior propensão em 15% de perda auditiva. No entanto, as que bebiam 5 ou mais taças de vinho no mesmo período, apresentaram propensão menor em 16% de perda auditiva.

Em entrevista ao Wine Spectator, o Dr. Sharon Curhan declarou que a perda auditiva é algo inerente ao processo de envelhecimento, mas que pode ser evitado. O doutor também explicou que o vinho é um antioxidante natural e promotor de fluxo sanguíneo coclear.

Uma ótima notícia para nossos ouvidos, então vamos brindar!

Publicado em

Vinhos e antidepressivos, anti-inflamatórios e ansiolíticos

O álcool age no nosso sistema nervoso central, sendo assim ele pode potencializar ou reduzir os efeitos de outras drogas de ação cerebral.

Em relação a antidepressivos, analgésicos e anti-inflamatórios há a questão que, dependendo do tipo de medicamento, ele pode ou não ser ingerido com bebida alcoólica, por isso é importante consultar direitinho o seu médico.

No caso do ansiolítico: não! Não! Não! Usados para tratamento de insônia e ansiedade, a combinação benzodiazepínicos e álcool é a mais perigosa de todas! Pode causar sedação, falta de memória e perda de coordenação. Ou seja, um prato cheio para acidentes.