Publicado em

Jeito certo: Taça, temperatura, música e luz!

Há quem diga que cada tipo de vinho demanda um tipo de taça. E realmente algumas marcas especializadas colocam este conceito em prática, como a austríaca Riedal que tem em sua coleção mais de 400 modelos. Outra variável que todos sabem que é determinante para o sabor é a temperatura certa para cada tipo de vinho. Só que pesquisadores de Oxford garantem que a luz e a música também interferem na percepção da bebida.

Considerado o maior experimento multissensorial do mundo, o teste proposto pelo pesquisador Charles Spance pôs em prova que a luz e os ritmos musicais interferem no consumo ao servir, em Londres, 3 mil pessoas com vinho tinto em uma taça preta e iluminação que alterava em luz branca, vermelha e verde. Além disso, a música também oscilava entre uma melodia para um som seco. A conclusão foi que a percepção do vinho foi leve e fresco em luz verde e som mais seco, e mais prazeroso com a cor vermelha e melodia.

Spance percebeu que as pessoas podem sentir diferentes sabores quando degustam bebidas ouvindo determinadas músicas. Concluiu que notas de piano são associadas a aromas de frutas vermelhas e baunilha, já o som mais pesado remete a aromas almiscarados.

O grande destaque da pesquisa foi nos testes às cegas, o mesmo rótulo servido sob influência de músicas diferentes, foram descritos como vinhos diferentes.

Fique atento a todos os detalhes. Não deixe que uma luz errada ou uma música mal escolhida interfira minimamente em todo o prazer que temos ao brindarmos com os nossos vinhos favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *