Publicado em

1º de abril – As maiores mentiras sobre os vinhos!

Deixe as brincadeiras de 1º de abril para os que fazem trocadilhos com “é pavê ou pacomê? “ e aproveite para nunca mais se deixar enganar por mitos irreais sobre os vinhos.

Quanto mais velho, melhor
Nem sempre. O que faz mal para o vinho não é o tempo, mas sim o oxigênio. O ar em contato com substâncias do vinho leva à sua oxidação. Apenas 30% dos vinhos melhoram com o tempo.

Vinho branco vem da uva branca, assim como o tinto vem da vermelha
Nem sempre. Para fazer vinho branco com uvas vermelhas basta fermenta-las sem a casca. A casca da uva é que dá a coloração do vinho. Espumantes, principalmente os Champagnes, são exemplos de vinhos brancos feitos com uvas tintas.

Cave Amadeu Rose Brut
RS: Cave Amadeu Rose Brut

Se tem bolhas, é Champagne
Nem sempre. Todo Champagne é um espumante, mas nem todo espumante é Champagne. Apenas os espumantes produzidos na província de Champagne, na França, são, de fato, Champagnes.

 

Dal Pizzol PInot Noir
RS: Dal Pizzol uva Pinot Noir

Peixe só combina com vinho branco
Nem sempre. Muitas pessoas respondem na ponta da língua que vinho branco que deve acompanhar o peixe. Algumas dizem que o tanino, presente na maioria dos tintos e a carne de peixe não combinam, deixando um gosto metálico na boca. Elas não estão totalmente erradas. Só que existem vários tipos de vinhos e vários tipos de peixes. O salmão e o bacalhau são ótimos exemplos de carne de peixe que, combinados com tintos de taninos leves, ficam mais saborosos ainda.

Rosé é uma mistura de vinho tinto com branco
Esse mito é o culpado pelo Rosé sofrer tanto preconceito. Infelizmente, algumas empresas (nem chamamos de vinícolas) buscando preços baixos, fazem essa mistura tirando, assim, as propriedades e qualidade do vinho. Por isso, de novo: nem sempre! O rosé, verdadeiro, passa pelo mesmo processo do branco e do tinto. A diferença, que faz com que a cor se aproxime mais do rosa, é que a casca da uva, que já falamos ser a responsável pela cor da bebida, fica em contato com o “suco” da uva por menos tempo.

Dal Pizzol Gamay Beaujolais
Uvas francesas, terroir (gaucho) brasileiro

O Brasil, por causa do calor, não produz vinho bom
Para essa frase a resposta não é “nem sempre”… é NUNCA! NUNCA! NUNCA repita este disparate!
É incontestável que a Europa, com seus países frios e iluminados pelo sol, é ótimo terroir para o cultivo da uva. Só que se a frase fosse verdade, como seria possível o Vale do São Francisco, seco e quente, produzir vinhos excelentes? Além de clima, outros tantos fatores são importantes para a produção de uvas, como tipo de solo e latitude.
Sim, as uvas americanas são diferentes das europeias e o nosso processo conta com tecnologia e inteligência para se fazer ótimos vinhos. Poderíamos citar o que é feito em cada região que produz vinho no Brasil. São regiões bastante distintas e em cada uma se segue um processo.

Ao invés disso, convidamos você a experimentar os nossos vinhos. Prove, literalmente, que nós, do RED, não mentimos nem no dia da mentira.